Três cidades mineiras voltam às urnas neste domingo para escolher prefeito e vice

Mais de 25 mil eleitores mineiros.

Publicado em 11/03/2017
Por Fransciny Alves/O tempo

Cerca de 25 mil eleitores mineiros vão voltar às urnas neste domingo (12) para escolher prefeito e vice-prefeito. As eleições extemporâneas valem para as cidades de Alvorada de Minas, na região Central do Estado; Ervália, na Zona da Mata; e São Bento Abade, no Sul de Minas. Nesses municípios, os candidatos mais votados em outubro de 2016 para assumirem as prefeituras tiveram as candidaturas indeferidas pela Justiça Eleitoral. Por isso, os presidentes das Câmaras Municipais estão chefiando as cidades.
Em Alvorada de Minas, que conta com 4.244 eleitores, três chapas foram inscritas para o novo pleito. Os candidatos a prefeito são: Carlos (PMDB), Cleber do Esporte (PTdoB) e Vitor de Salvador (SD). Quem vencer vai ocupar o lugar do candidato mais votado em outubro, Danilo da Saúde (SD), que teve seu registro indeferido porque, apesar de ter se desincompatibilizado do cargo de secretário municipal, não se afastou das funções.
Em Ervália, dois nomes se apresentaram para concorrer pelo comando do Executivo: Alex (PSDB) e Eloísio Cunha (DEM). Esse último concorreu nas eleições municipais do ano passado como vice na chapa que venceu a disputa. Porém, o candidato a prefeito Edson Rezende (DEM) teve seu registro impugnado e indeferido por ter tido contas públicas rejeitadas. O município da Zona da Mata tem 16.411 eleitores.
Esse foi o mesmo motivo que levou à impugnação e ao posterior indeferimento do registro de Janete Silva (PSDC), candidata mais votada em São Bento Abade, cidade com 3.908 eleitores. No município, três candidatos foram registrados para as eleições suplementares, inclusive a que tem como cabeça de chapa Jane (PT), que se apresenta como a irmã de Janete. Já o PTB apresentou para a disputa Eneias e o PDT lançou Nonô para o pleito municipal.
As votações, marcadas para domingo – 12 de março –, serão das 8h às 17h. Só podem votar os eleitores que estavam alistados na Justiça Eleitoral até o dia 12 de outubro de 2016. Quem se inscreveu depois desse prazo não pode ir às urnas. Para votar, é preciso levar um documento oficial com foto. Não é obrigatória a apresentação do título de eleitor, mas o número deste documento é indispensável para o preenchimento da justificativa eleitoral. A diplomação dos eleitos, segundo a Justiça Eleitoral, deve acontecer até 31 de março.


Veja também