Suplementos alimentares para idosos: pode ou não pode?

Mayara Poscidônio - Sáude & Bem-estar

Publicado em 14/05/2018
Por Mayara Poscidônio

 

Devido ao aumento da expectativa de vida, devemos nos preocupar cada dia mais em como será nosso futuro. Com o tempo, nossa massa muscular e força tendem a diminuir, e essa perda pode ser agravada com doenças crônicas, inatividade física e alimentação pobre em nutrientes. Esse quadro é chamado de sarcopenia,  também ligado à redução do equilíbrio, quedas frequentes, fraturas e dificuldade de locomoção, causando maior dependência do idoso em suas atividades ocupacionais.

O problema é que muitas pessoas de idade mais avançada apresentam perda de apetite (anorexia), principalmente em relação ao consumo de carnes, uma das principais fontes de aminoácidos essenciais, o que causa um déficit na soma de proteínas ingeridas durante o dia.           

Um estudo feito na Itália, publicado pela American Society for Nutrition em 2016, reuniu 130 idosos sarcopênicos durante 12 semanas, onde todos mantiveram atividade física regular e controlada, porém o grupo que recebeu suplementação de aminoácidos essenciais, whey protein e vitamina D obteve aumento de 1,7 Kg de massa muscular. Portanto, a suplementação aumentou a massa muscular e a força, reduziu os índices de desnutrição observados na mini avaliação nutricional (MNA) e a proteína C reativa, marcador de inflamação, também aumentou IGF-1, marcador de crescimento e reparo muscular. 68% dos indivíduos suplementados deixaram de ser sarcopênicos.

O exercício físico oferece estímulos para que haja esse aumento de massa muscular. Porém, sem a nutrição adequada, o ganho de massa muscular e diminuição da desnutrição não foi observado no estudo. Portanto, a suplementação torna-se uma alternativa para redução da sarcopenia e para melhorar a oferta de nutrientes para idosos, visto que em grande parte dos casos, eles não conseguem consumir a quantidade adequada de fontes de proteínas.

O estudo é um alerta para a população em geral, pois, se mantiverem a alimentação adequada e a prática de exercícios físicos regularmente durante a fase adulta, terão mais disposição e saúde, além de um futuro com menos dificuldades :)

 


Sobre o autor

Mayara Poscidônio

Colunista de Sáude & Bem-estar

Mayara E. Poscidônio de Souza é nutricionista formada - CRN9 18771/P - pela Universidade Federal de Lavras e pós-graduanda em Prescrição de Fitoterapicos e Suplementação Nutricional na Nutrição Clínica e Esportiva. Realiza atendimentos nas áreas de nutriç&atild ...

Ver Perfil

Veja também