Boechat eterno! - por Amauri Junior

Aos 66, deixa hoje uma lacuna insubstituível no rádio e televisão

Publicado em 11/02/2019
Por Amauri Junior
Imagem Dayanne Engenharia

Boechat eterno!

Não! Jornalista do bem não morre. Eterniza!

Quem trabalha com comunicação sabe o quanto é difícil deixar gravada a própria marca nesta caminhada profissional. Na labuta diária com as letras ou com a voz, a grande missão é transmitir a mensagem de forma clara e totalmente compreensível.  Seja a notícia, a opinião, uma reflexão ou o mais simples dos fatos. Escrever é fácil.  Falar é muito fácil. Mas o objetivo final do jornalista é o mais difícil: CONVENCER.
O argentino mais brasileiro que os próprios brasileiros, conseguiu mais que convencer. Ricardo Eugênio Boechat conseguiu cativar. Tornou-se íntimo do seu público. Ele declarava a notícia e declamava sua opinião. Posicionamentos fortes, autênticos e verdadeiros. Tinha conhecimento, capacidade é coragem para apontar o dedo na cara do poder do Brasil e na ferida que tanto fere o povo.
Como jornalista de verdade e agindo com base na verdade, Boechat deixa hoje uma lacuna insubstituível no rádio e televisão.  Um vazio profissional e humano. O que ainda vive é o seu exemplo. 
Sorria onde estiver BoechBo. Você conseguiu eternizar a sua personalidade no jornalismo. Faz permanecer viva a nossa chama profissional. Vamos continuar lutando, fazendo jornalismo e radialismo. Vamos continuar "boechando". Vamos persistir e resistir em sua homenagem. Tentando fazer a diferença na construção de uma sociedade melhor, com mais justiça.  Como você disse: "A riqueza não iguala os homens, mas a miséria sim". 
Boechat, a riqueza do seu caráter eterniza seu nome.
Não! Jornalista do bem não morre. Eterniza!
Boechat eterno!

(Amauri Júnior 
Jornalista Mtb. 17.539 MG
Muzambinho/MG)